Palácio Nacional de Mafra (Convento de Mafra) – Novo Património Mundial

 

O Real Edifício de Mafra (Palácio, Basílica, Convento, Jardim do Cerco e Tapada) está em festa para celebrar a inscrição na lista do Património Mundial da UNESCO com o mote “O Real Edifico de Mafra está de portas abertas.

Todo o conjunto monumental foi distinguido pela UNESCO com a entrada para a lista do Património Mundial, ao mesmo tempo que outra obra-prima portuguesa, o Bom Jesus de Braga.

Os trabalhos da construção do Palácio Nacional de Mafra terá começado em 1717 por iniciativa de Rei D. João V em virtude de uma promessa que haveria feito em nome da descendência que haveria de obter com Rainha D. Maria Ana de Áustria. A construção foi possível utilizando o ouro proveniente das ricas minas do Brazil, sendo eventualmente considerada um dos maiores Palácios Barrocos do século XVIII.

O Palácio ocupa aproximadamente quatro hectares, construído em pedra lioz e tem 1200 divisões, 4700 portas e janelas, 156 escadarias e 29 pátios e saguões tendo um estilo barroco joanino, na vertente alemã. Incluindo zona de caça real, uma das maiores bibliotecas da Europa contendo uma colecção de mais de 35000 volumes e o Hospital Real com uma farmácia contento instrumentos médicos da época.

O Palácio Nacional de Mafra foi classificado como Monumento Nacional em 1910 e agora alcançou o estatuto de Património Mundial a 7 de Julho de 2019.

Share

Palácio Nacional de Mafra (Convento de Mafra) – Novo Património Mundial